O grito de terror por trás dos cosméticos testados em animais!

mokey-53331dc317d6f24418094865508b8a92-1200x600
Soko Tierschutz e Cruelty Free International

Coelhos, macacos, gatos, ratos, cães. Milhares desses animais, entre outros, experimentam todos os dias as piores torturas praticadas em laboratórios. Recentemente, ativistas das organizações Soko Tierschutz e Cruelty Free International, disfarçados de funcionários, registraram cenas de terror em um laboratório de Farmacologia e Toxicologia na Alemanha (veja o vídeo).
Estima-se que mais de 115 milhões de animais no mundo são usados como cobaias anualmente, segundo a organização Humane Society International (HSI). E o pior de tudo é que diversas pesquisas já comprovaram que os testes com animais são ineficazes, além de atrasarem o desenvolvimento científico. “Apenas de 5% a 12% dos produtos que passam em testes em animais são aprovados em humanos. Temos então 88% a 95% de falhas, o que demonstra que essa é uma ciência claramente problemática”, disse o biólogo e pesquisador da Universidade Federal Fluminense (UFF) Róber Bachinski, durante Seminário na sede da OAB/RJ, em 2012.
Até quando os animais serão submetidos a testes cruéis em nome de uma ciência que nem ao menos funciona? Você pode fazer a diferença para boicotar essa prática desumana. Sabe como? Consumindo com ética e responsabilidade, ou seja, dando preferência a empresas e marcas que não testam seus produtos em animais.
O PEA possui uma lista de empresas que não testam seus produtos em animais. Veja aqui.

SAIBA COMO OS TESTES FUNCIONAM
O uso de coelhos se tornou um símbolo da crueldade existente por trás dos testes de produtos de higiene pessoal, como xampus e sabonetes. O fato desse animais possuírem olhos grandes e hipersensibilidade no globo ocular facilita aos cientistas observarem melhor os efeitos dos compostos químicos. Só que a irritabilidade causada nos olhos dos coelhos é imensamente superior àquela provocada nos olhos humanos. Durante os testes, os animais são imobilizados para evitar que esfreguem ou arranquem os próprios olhos das órbitas devido à dor violenta.
Mas além desse, há outros diversos tipos de testes realizados em animais, de acordo com a PEA (Projeto Esperança Animal). Conheça alguns deles abaixo:

Irritação dermal: aplicação de substâncias em peles raspadas e feridas até que se cause edema ou sangramento.
LD 50: teste de medição de toxicidade de substâncias inseridas no organismo animal através de sonda gástrica. Além da perfuração, há ocorrência de dores fortes e convulsões, dentre outros sintomas. As doses são administradas até que metade da população do teste morra.
Toxidade Alcoólica e Tabaco: inalação de fumaça e ingestão de bebidas alcoólicas e posterior dissecação para estudo dos efeitos destas substâncias no organismo.
Comportamentais: os animais são submetidos à privações de diversos tipos, como a de água, comida, amor materno, sono, dentre outros. Podem ser feitos testes para observação do medo e estresse. Pode-se realizar estes estudos com a abertura do cérebro e colocação de eletrodos, durante os testes.
Armamentistas: submetem os animais à radiação de armas químicas, explosões, colisões, inalação de fumaça, gases tóxicos etc.